College Publications logo   College Publications title  
View Basket
Homepage Contact page
   
 
AiML
Academia Brasileira de Filosofia
Algorithmics
Cadernos de Lógica e Computação
Cadernos de Lógica e Filosofia
Cahiers de Logique et d'Epistemologie
Communication, Mind and Language
Computing
Cuadernos de lógica, Epistemología y Lenguaje
DEON
Dialogues
Economics
Encyclopaedia of Logic
Filosofia
Handbooks
Historia Logicae
IfColog series in Computational Logic
Journal of Applied Logics - IfCoLog Journal
Journals
Landscapes in Logic
Law
Logic and Semiotics
Logic PhDs
Logic, Methodology and Philosophy of Science
The Logica Yearbook
Neural Computing and Artificial Intelligence
Philosophy
Research
The SILFS series
Studies in Logic
Studies in Talmudic Logic
Systems
Texts in Logic and Reasoning
Texts in Mathematics
Tributes
Other
Digital Downloads
Information for authors
About us
Search for Books
 



Academia Brasileira de Filosofia


Back

Paris

e seus poetas visionários

Márcio Catunda

Deambular em Paris tem sido para mim uma forma de estudar literatura.
Seguindo na cidade as indicações que há, por toda parte, dos locais onde viveram seus grandes poetas, passei em frente aos endereços de meus ídolos.

Viajei quatro vezes à Cidade-Luz e a percorri, de ponta a ponta, subindo e descendo as escadas do metrô, ou andando a pé, em meio às multidões, exaustivamente, à beira do estresse, debaixo de chuva, no frio, molhado de neve ou
no calor causticante dos meses de verão. Depois de ler diversas biografias,
localizei lugares onde viveram aqueles visionários, alguns deles há mais de
150 anos.

Tracei, então, este perfil lírico-geográfico de Paris.
Constatei que transitar pelos vinte arrondissements de Paris, além de proporcionar meu método de pesquisa, foi uma forma de celear a vida. Sob
os auspícios do céu de Paris, Olimpo dos cultores da cultura, caminhei no
turbilhão urbano para contemplar os concertos de concreto em que a cidade se
divide no tempo da História, entre a urbe medieval, da qual restam poucos dos
antigos inventos arquiteturais, até a Paris de hoje, que surgiu das simetrias de
Haussmann, o Préfet de la Seine, racionalizador do concreto.

Benditos sejam os poetas, que trabalham e se sacrificam para que desfrutemos
da beleza da palavra e do sentimento que emanam de seu magnânimo
altruísmo.

978-1-84890-356-2






© 2005–2021 College Publications / VFH webmaster